Você calcula corretamente o preço dos seu produtos para o e-commerce?

Não é novidade para ninguém que estamos em um cenário cada vez mais competitivo,  a oferta de produtos, dos mais simples aos mais complexos se tornou muito maior, principalmente com a oferta dos mesmos produtos na internet. Se antes a distância impedir que o consumidor chegasse até o produto para vê-lo, agora você pode vê-lo através da internet e fechar negócio.

Isso obrigou as marcas a se tornarem mais atentas aos competidores, não apenas no cenário regional, mas quase global. E um dos principais pontos de atenção do consumidor é o preço, visto que em relação à maioria dos produtos ofertados, o nível de qualidade é similar, atributos como preço, valor agregado e pós-venda passar a ser decisivos na escolha de onde comprar.

Saber calcular corretamente o valor de venda do seu produtos, ajuda o lojista saber onde e como ele pode se tornar mais competitivo em relação aos seus concorrentes. Confira os pontos aos quais você deve ficar atento para a formação de peço no seu e-commerce.

Pilares da formação de preço:
image-blogs_montage_new2
Para saber o valor que o seu produto na vitrine, você antes deve saber:

> Quais são os meus custos? Quais são os fornecedores que estão envolvidos para a produção do meu produtos ou serviço, sejam eles custos diretos (aplicados diretamente no produto) ou indiretos (aplicados no processo de produção).

> Que despesas eu tenho para oferecer o meu produto ao cliente? Elas se dividem em Administrativas (gastos relativos à administração da empresa) e Estruturais (como servidores e entrega )

> Qual a minha porcentagem de ganho, lucro,  esperado após a venda de cada produto?

Definidos esses pontos básicos, você saberá qual o preço cobrar pelo seu produto sem que ele acarrete prejuízos à sua empresa.  Entretanto é necessário uma análise mais profunda desse processo de formação de preço para que você possa torná-lo realmente competitivo, por isso acrescentamos algumas informações.

image-blogs_montage_new
Nos seus custos indiretos, o lojista deve acrescentar uma parcela referente ao rateio, a distribuição do custo comum entre todos os produtos produzidos pela empresa, ele está inserido dentro dos custos indiretos citados acima.

Formada a base de custos diretos e indiretos do seu produtos,  você adiciona os custos de produção individual para cada um deles. Assim, você não corre o risco de que um produto que tenha o custo de produção mais elevado encareça outro, tirando a sua competitividade.

Após definidos esses pontos, vem o momento de colocar os impostos na definição de preço, os impostos podem variar de acordo com o produto ou serviço que você comercialize. Inclusive se sua empresa se encaixa no Simples Nacional.

Definidos todos os indicadores, desde que inseridos corretamente, o lojista conseguirá saber o valor ideal de venda dos seus produtos, no qual ele consegue suprir todos os gastos com matéria-prima, infraestrutura, impostos e também a sua margem de lucro.

Existem diversas fórmulas e outros meios de definir o preço ideal de venda do seu produto, mostramos de forma didática os pontos que você deve levar em conta. Pois assim é fácil saber onde está concentrada a maior parte do custo do seu produto, e cabe ao lojista avaliar e saber como ele pode fazer esse preço se tornar mais competitivo.

Conteúdo baseado na apresentação: “Impactos da Partilha ICMS na formação de preços” de Samuel Gonsales

*Samuel Gonsales atua como Head de Produtos na Millennium Network, Professor Universitário (IBTA e Senac) e Articulista de diversos portais e revistas. Vencedor do Prêmio e-Commece Brasil 2015 – Categoria Operações. É especialista em Sistemas de Gestão Empresarial (ERP) e e-Commerce acumulando mais de 17 anos de experiência

Comentários